Cultivo de Orquídea Cattleya

As orquídeas Cattleyas são na sua maioria epífitas, de origem Sul Americana.
A sua estrutura é simpodial, isso quer dizer na natureza crescem por bolbos.
Essa orquídea possuí 118 espécies catalogadas e milhares de híbridos.

Dentro das espécies Cattleyas, temos as plantas uni-foliadas, e bi-foliadas.

Cattleya uni-foliada

Possuem os bolbos mais largos e apenas uma única folha em sua ponta, por possuir apenas uma única folha, seus bolbos são mais largos e acumulam mais nutrientes e líquidos para planta, como todas a orquídeas, necessitam de uma boa rega, mas somente ao secarem, o seu velame (pele cinzenta que cobre a raiz das orquídeas) absorve rapidamente a umidade durante a rega, as orquídeas uni-foliares suportam longos intervalos de rega pois seus bolbos acumulam água, por este motivo devem ser regadas somente quando estiverem secas,  para uma melhor hidratação da planta.

Caso passe por um período longo de falta de rega pode ser recuperado os bolbos com a hidratação.

As suas flores possuem um labelo maior pois tem como base as plantas matrizes como as espécies naturais Cattleya labiata, antes Laelia, Cattleya máxima, etc.

Em um congresso mundial de orquidófilos em 2008, ficou acordado por uma convenção, que todas Orquídeas das espécies Laelias e Sphonidis, agora são Cattleyas.

Tendem florir de espata secas, verde, e até sem espata, ocorre uma vez por ano sempre na mesma época, isso depende da herança genética da planta, pois como na sua maioria são plantas híbridas criada pelo cruzamento de espécies está e uma informação generalizada, mas aplica-se a sua maioria.

O substrato ideal para elas são os que não retém água, e com uma boa drenagem no fundo vaso, ou apoiadas em troncos de árvores, são plantas que necessitam de fixação.

Cattleya bi-foliada

Seu próprio nome já o diz, possui duas folhas na extremidade do bolbo para realizar a fotossíntese, alimentar e hidratar a planta, diferente da unifoliares seus bolbos são finos e não tendem a acumular nutrientes. Necessitam também de uma boa rega, porém regular, caso o seu bolbo se desidrate não é possível hidratar o mesmo.

Suas flores são menores medem no máximo 10cm, porém podem surgir em algumas plantas até 30 flores em uma única floração. Principais matrizes Cattleya acladiae, schilleirana, etc.

Iluminação

Em regras gerais devemos sempre antes de decidirmos o local do cultivo imaginar como é o habitat natural da planta, normalmente são plantas que gostam de bastante luminosidade, suportam a luz solar direta, gostam do sol nascente até às 11 horas, existem espécies que gostam de maior exposição solar, principalmente as uni-foliares.

Como verificamos o excesso ou a falta de luminosidade?

A falta de luminosidade fará com que sua planta fique com folhas de tonalidade verde escuro e os novos bolbos ficam menores. Podem aparecer espata floral, porém não irão florescer.

Lembre, as orquídeas gostam de bastante luminosidade, porém poucas gostam do sol forte diretamente em suas folhas.

O excesso de luminosidade pode se verificar na maioria das plantas com a tonalidade mais amareladas, bolbos ressequidos.

Pode causar a morte da planta por desidratação ou queimadura.

‘O momento ideal para o replantio das orquídeas bi-foliadas é quando o broto novo estiver emitindo as primeiras raízes, isso reduz o stress da planta pois a mesma já está dando início ao processo de enraizamento.’

cultivo cattleya_png

Rega

A rega deverá sempre ser adaptada ao clima, local de cultivo e substrato utilizado.

As Cattleyas uni-foliadas de forma geral são plantas que necessitam de humidade, mas possuem uma capacidade maior de retenção de nutrientes, são plantas que em seus habitats naturais estão habituadas a longos períodos de seca, e nesse sentido devemos deixar o substrato secar totalmente antes da próxima rega.

As Cattleyas bi-foliadas são plantas de bolbos mais finos e mais duros, com menos capacidade de retenção de nutrientes, no seu habitat natural estão em locais húmidos e sujeitos a chuvas mais constantes. São plantas que necessitam de mais retenção de água, devendo também arejar o substrato mas nunca deixando secar totalmente antes da próxima rega.

Quanto aos períodos de rega, o mesmo também deverá ser adequado ao clima;

– Em períodos de frio convém efetuar a rega no período da manhã/dia de forma que o substrato seque melhor evitando o congelamento e apodrecimento das raízes.

– Nos períodos de calor a rega poderá ser feita a qualquer horário.

Adubação

Hoje em dia é considerado entre os orquidófilos um dos temas mais discutidos, pois cada um tem a sua preferência.

Por este motivo não iremos citar marcas de adubos que não comercializamos ou que não satisfizeram ao que foram propostos.

Recomendamos a gama de Adubos para Orquídeas da Flortis, pela nossa utilização bem sucedida

Em regra básica, de adubação, devemos sempre ler o rótulo do produto para verificarmos a dosagem e o intervalo recomendado para a reutilização.

A adubação deverá ser feita após a rega, para as plantas que estão implantas em placas  a adubação deverá ser feita pelo menos 1 vez por semana, para as plantas que estão em vasos adubar 1 vez a cada 2 regas de agua.

No processo de hibernação da planta não existe a necessidade de adubação pois a mesma não irá reter os nutrientes.

Esperamos que fiquem esclarecidos com esse tutorial e que lhes seja útil para o cultivo de uma das espécies de orquídeas mais adoradas em todo o mundo!

Um bom cultivo!

Deixe uma resposta

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp